Dois edifícios situados no Centro Histórico de Salvador (BA)

– Museu Nacional da Cultura Afro-Brasileira  Muncab, Rua do Tesouro S/N, Centro

– Faculdade de Medicina da Bahia  FMB, Largo do Terreiro de Jesus, Centro

 

..

 

.

.

 

 

.

.

 

.

Muncab

.

.

.

 

.

.

 

Mulher-Dama  Entre janeiro e fevereiro de 1966, Flàvio Damm visitou o mundo da prostituição da Cidade da Bahia com sua inseparável Leica, voltando o olhar de caçador de “instantes decisivos” para o cotidiano dos bordéis, conhecidos como “castelos”, e das ruas, sobretudo as do Maciel. Um mundo em transição, que vivia os últimos lampejos de sua fase mais glamorosa, já entrando em decadência. O ensaio lhe fora proposto pelo amigo Jorge Amado para um futuro livro sobre prostitutas e seus espaços de vida, que levaria o título de “Mulher-Dama”, termo muito usada na época.

Deveria ter sido a segunda parceria dos dois, na sequência de “Bahia Boa Terra Bahia”, publicado em 1967 e que incluia, além de fotos e textos, desenhos de Carybé. Diante do clima de terror instalado no Brasil por causa do AI-5, marcando o início do periodo mais violento e repressivo da ditadura, o escritor decidiu suspender o projeto, a principio para retomà-lo mais adiante. Naquele momento, sofreiria censura qualquer abordagem simpática à prostituição, tema interdito pelos militares. Com o passar do tempo se dispersaram, e o projeto acabou abandonado.

Cinquenta anos depois, o reencontro. Mostrado pela primeira vez, o ensaio é acompanhado de uma espècie de legenda, uma frase do capítulo final do romance “Tereza Batista Cansada de Guerra”, quando a valente protagonista lidera uma revolta contra a remoção da zona do Centro de Salvador, “limpeza” que atenderia aos interesses do capital imobiliàrio. Comovida pela luta das mulheres, numa noite agitada o poeta Castro Alves sai da sua estátua para se juntar ao motim e, ao amanhecer, já de volta ao lugar de sempre, é visto com um braço estendido para o mar e o outro segurando um cartaz rasgado, onde se lè:  Todo Poder às Putas

Silvana Olivieri, Curadora

 

.

.

.

térreo, espaço de exposição “Mulher-Dama”

.

.

 

térreo, espaço de exposição “Mulher-Dama”

.

.

.

 

primeiro andar, exposição “Arte e História da Cultura Afro Brasileira”

.

.

.

salão central com cúpola, segundo andar

.

.

terraço ala leste, segundo andar

.

 

.

.

espaços segundo andar

.

.

.

Gradil “Histórias de Ogum”, peça criada pelo Artista Plástico J. Cunha e fabricada por Jorge Lima Artefatos de Metal

.

.

.

.

.

.

.

.

FMB

.

.

.

.

 

Largo do Terreiro de Jesus

.

.

..

térreo, foyer, hall de entrada

.

terréo, átrio/pátio leste

.

 

corredor

.

 

 

térreo, varandas, jardim

.

.

.

escadaria, térreo

.

 

escadaria, primeiro andar

.

.

.

 

 

átrio/pátio leste, primeiro andar.

 

verandas, primeiro andar

.

perímetro oeste da cidade histórica

.

semirotunda do Grande Anfiteatro

.

.

.

cadeira tripla, conjunta

.

.

 

.

imagens históricas

.

.

.

Largo terreiro de Jesus

.

Rua das Portas do Carmo

.

.

anfi teatro  exterior/interior

.

 

.

 

 

 

 

.

.

.

 

 

 

 


About this entry