“Cantos Cuentos Colombianos” – Casa Daros – Rio de Janeiro

Uma visita, hoje e no ano 1892 – Exposição inaugural de março de 2013,  Casa Daros Rio  – Rua General Severiano 159, Botafogo, Rio de Janeiro – RJ

 

.

The Two Colombias by Andrés Velasco – Project Syndicate  PDF

SescTV: Casa Daros parte I e II – http://www.youtube.com/watch?v=tzuhlo0vPRY

Projeto de arquitetura: – Intervenção na preexistência

.

.

.

Satellite 02, rendered

.

.

 

 

.

.

 

“O PAIZ” – Uma Visita ao  ASYLO DAS ORPHÃS  da “Santa Casa de Misericordia” – 1892.03.07.

 

“E’outra instituição de beneficencia das que orgulham a alma fluminense.

Ramo brilhantissimo da actividade evangelica, da caridade inexcedivel exercida pela Santa Casa de Misericordia, este estabelecimento que hontem visitámos e que vamos hoje apresentar ao publico é do mais dignos da veneração e do apreço de uma sociedade.

Se a civilisação de um povo se mede pelo gráo da sua instrucção, não é menos certo que o seu modo de attender ás necessidades dos pobres e dos infelizes tambem pesa na balança avaliadora desses creditos de civilisado.

Foi com summo prazer, pois, que hontem, percorrendo todo o vasto edificio que constitue o recolhimento de Santa Thereza, recebemos, uma per uma, as impressões mais variadas, que agora, satisfeitos, transmittimos ao publico, certos de que servimos à memoria dos generosos bemfeitores dessa instituição, servimos aós benemeritos encarregados de velar pela sua existencia, servimos ás irmãs de São Vicente de Paulo, que ás orphãs consagram todo o seu ardente amor, servimos a essas filhas do infortunio, que um dia a sorte abençoará dignamente, e servimos ao nosso caro Brazil, que precisa ser conhecido no estrangeiro como o typo da hospitalidade e o exemplo franco da mais salutar e acrysolada beneficencia e amor pelos desvalidos.”  (cont.)

.

.

.

.

Entrance - north elevation 150_DSC0002_2

 

.

Collage 02

Casa Daros – R. Gen. Severiano 159  –  portâo, jardim, escada e entrada principal

.

.

“O estabelecimento das orphãs da Santa Casa de Misericordia, denominado Santa Thereza, está situado na rua General Severiano, que vai da da Passagem á praia da Saudade. E’de lindo aspecto exterior, todo costruido de granito e posto no fundo de um elegante e longo jardim, que margina a rua limitado por elegante solida grade de ferro fundido. O grande portão principal de entrada offerece passagem por uma área calçada a parallelipipedos até um lance da escada larguissima que dá accesso para o edificio.”  (cont.)

.

.

 

‘Nossa Senhora das Graças’  com coroa, auréola e feixe de flechas relâmpagos contra a peste

.

.

.

main entrance - Nossa Senhora das Graças_DSC0019_2

 

.

 

Vik Muniz - Nossa Senhora_DSC0002_2

transformação da Madonna por  Vic Muniz 

“Brasil joga como o Brasil (juguetón y un poco de hueco)” – Javier Marías sobre a ‘Seleção Brasileira’

.

 

 


“O vestibulo da recepção é ladrilhado em losangos de marmore preto e branco, e guarnecido de varios bancos. A’direita está a saleta da porteira e á esquerda se acha o gabinete da irmã superiora.

Com esta senhora, Mme. Boisacq, que ha 34 annos vive no Brazil, e ha 24 dirige o Recolhimento, percorremol-o todo.

Vimos a rouparia, vasta sala cujas paredes estavam revestidas de immensas prateleiras, que vergavam ao peso de todas as peças necessarias para o serviço geral do estabelecimento. Tuda ali se vía disposto com arte e methodo irreprehensiveis, e a alvura do linho deslumbrava a quem estendia o olhar em torno.”  (cont.)

.

.

.

.

Existe uma arte latinoamericana? – “…Borges uma vez disse que ele sabia de Peruanos, Argentinos, Chilenos, mas que ele não tinha conhecido um único latinoamericano.”

.

.

.

Artista:  Nadín Ospina  “com estas pedaços construir uma espécie de museu etnográfico falso”

.

.

.

Nadin Ospina_DSC0139_2

.

Nadín Ospina_DSC0115_2

Nadín Ospina_DSC0113_2

Nadín Ospina_DSC0110_2

.

Nadín Ospina_DSC0111_2

“Xamã do barco”

.

.

.

.

 José Alejandro Restrepo  “Musa paradisiaca”

.

.

.

Jose Alejandro Restrepo_DSC0107_2

.

Jose Alejandro Restrepo_DSC0103_2

Jose Alejandro Restrepo_DSC0105_2

.

Jose Alejandro Restrepo_DSC0202_2

“olho por dente”

.

.

.

“O immenso dormitorio está dividido em tres secções: das moças, das médias, e das crianças. O isolamento, á noite, faz-se completo entre cada uma destas secçoes. Em todas era bello ver-se o asseio e a belleza geometrica da disposição dos leitos, que não poderiam distinguir-se sem os numeros que os assignalam, tal é a nitida igualdade entre todos elles.

Ha tres salas de trabalhos manuaes, e de aulas. Cada uma dessas salas encontrámos occupada pela turma de recolhidas que a ella pertenciam, e ahi tudo nos sorprendeu. A vivacidade das meninas era inexcedivel; em còro, espontaneamente nos cumprimentaram, o …… do alegria vinham apertar-nos a mão. O conselheiro Paulino, provedor da Santa Casa, é ali desejado extraordinariamente, e, falando-se no nome delle, era de notar que cada uma das meninas se apressava em mandar-lhe um recado gracioso ou enviar-lhe uma palavra de affecto. Todas as physionomias relevavam a posse de uma saude perfeita, todos os olhares demonstravam um bem-estar de espirito invejavel.”  (cont.)

.

.

.

.

.

.

Fernando Arias  Ciaxão de LEGO – Homenagem aos filhos de guerra contra a droga

.

.

.

Fernando Arias_DSC0001_2

.

Fernando Arias_DSC0195_2

espoço do projeto para “CRISI’S”

.

.

.

.

.

Miguel Ángel Rojas  “Paquita compra um sorvete” – 6805 ‘micro’ fotografias circulares

.

.

.

Miguel Ángel Rojas_DSC0198_2

Miguel Ángel Rojas_DSC0132_2

“o sapato de alguém que empurrou ‘Paquita’….”

.

.

“Foram-nos apresentados trabalhos das alumnas. Vimos dois mantos para imagens sagradas, bordados a ouro, como não fariam melhor consummadas artistas no genero. Os bordados em roupa branca, crochets, e outras especialidades ali são ensinados com gosto e executados com brilhantismo pelo corpo de recolhidas. Em flores artificiaes foi-nos mostrado o que ha de mais primoroso, e com que ali se attende a varias encommendas do exterior. Muitos outros trabalhos artisticos recommendam as mãos delicadas das numerosas educandas, que esperam o momento de serem entregues á sociedade no santificado papel de esposas.

A educação naquella casa religiosa attinge a quasi todos os ramos do saber humano. Portuguez, francez, arithmetica, geometria, historia patria, geographia geral, calligraphia, musica, historia natural, etc., tudo ali é ensinado, de envolta com os deveres domesticos, que preparam a verdadeira dona de casa, a probidosa mãi de familia.”  (cont.)

.

.

.

.

Oswaldo   trilha sonora:  “Algo vai sobre minha cabeça”

.

.

.

Oswaldo Macià_DSC0008_2

instalação de som no jardim

.

.

.

.

Doris Salcedo

.

.

.

.

Doris Salcedo_DSC0116_2

.

Doris Salcedo_DSC0122_2

.

Doris Salcedo_DSC0138_2

Novembro 6

.

Doris Salcedo_DSC0120_2

Doris Salcedo_DSC0121_2

sem título

.

.

Ha dois ‘recreios’, um coberto, e outro ao ar livre. O primeiro é no recinto destinado a futura capela do estabelecimento, o segundo é n’uma parte do espaçoso jardim, que os quatro lances do edifício circundam em quadrilatero. Ahi tèm plena liberdade as meninas para equilibrarem com exercicios corporaes os intellectuaes e espirituaes a que se sujeitam com proveito para si e honra para o Recolhimento.

Cumpre não passar a outro ponto sem testificarmos a superioridade dos trabalhos calligraphicos que vimos, e dos desenhos, tudo executado pelas alumnas, sob a direcção das irmãs, que, sendo em numero de quatorze, são cinco de nacionalidade brazileira, intelligentes, e, como todas as congregadas de S.Vicente de Paulo, dedicadas por aquellas creaturas de menor idade postas sob sua guarda e protecção.

Depois entrámos no grande salão do Theatro, disposto em archibancadas lateraes, e um não pequeno palco sortido de decorações para varios effeitos, onde, em dias de festa, as meninas exhibem desembaraçado conhecimento de scena no desempenho das peças que á sua habilidade e gosto são confiadas.”  (cont.)

.

.

.

.

Juan Manuel Echavarría 

.

.

 

.

Juan Manuel Echavarría_DSC0124_2

Bandeja de Bolivar 

.

Juan Manuel Echavarría_DSC0108_2

Bocas de Cinza 

.

Juan Manuel Echavarría_DSC0192_2

Guerra e Pa

.

Juan Manuel Echavarría_DSC0190_2

Vaso de flor de corte  

.

.

“A enfermaria, que em seguida visitámos, estava completamente vasia.

Todos as recolhidas gozavam saude, nenhuma felizmente carecia de soccorros medicos.

Tinhamol-o já verificado, observando a physionomia expansiva de cada uma.

Os lavatorios geraes estão montados n’um só compartimento, são todos de marmore, corridos em quatro longas filas, e servindo ordenadamente ás moças, á médias e ás menores.

Passando por todos os corredores só se tem a bella impressão da alvura das paredes, do brilho do assoalho e do nitido envernizamento das portas. A luz abundante do dia banha todo o estabelecimento.

Entrámos na cozinha espaçosa, limpa, onde as meninas servem por turmas semanaes, e onde então se preparava a jantar; tivemos occasião de ver a fartura das iguarias que tinham de ser servidas pouco depois a todo aquelle garrul e buliçoso bando de infantis creaturas.

Os refeitorios, em sala contigua, estavam ricamente dispostos, tudo encantadoramente ordenado.”  (cont.)

.

.

.

.

.

Rosemberg Sandoval

.

.

.

.

Rosemberg Sandoval_DSC0145_2

Sintoma

.

Rosemberg Sandoval_DSC0147_2

Ações individuais

.

Rosemberg Sandoval_DSC0150_2

Caquetá  

.

.

.

“Vimos em seguida duas capelas: a geral, onde quotidianamente se diz missa ás 6 horas da manhã, e a Nossa Senhora de Lourdes, creada pela irmã superiora. Em qualquer das duas a austeridade religiosa se accentua em todas as suas minuciosidades, e pudemos observar que a quasi totalidade das guarnições eram fructo do trabalho proprio das meninas.

Obecedendo ao preceito religioso, que inspira todo o movimento daquella casa util, a emulação das educandas é promovida por meio de recursos especiaes e carateristicos da religião catholica. Assim as meninas, á maneira que vão se distinguindo por sua conducia e aproveitamento, vão recebendo em fórma de escapulario, presas sobre os hombros, umas fitas que por suas côres dão o gráo do seu merecimento. A verde é o primeiro gráo e as que a conquistaram são tidas como ‘aspirantes’ a ‘anjo’; a vermelha é o 2°gráo, e dão a denominação de ‘anjo’ as meninas que a possuem; a fita azul é o 3°gráo, e assignala as ‘aspirantes’ a ‘filhas de Maria’; o 4°gráo é representado pela fita roxa, e as que a têm obtido attingiram á meta, e são consideradas ‘filhas de Maria’. Destas ainda ha a mais distincta, que é a denominada ‘presidente das filhas de Maria’.

As meninas para serem recebidas no Recolhimento de Santa Thereza precisam ser filhas legitimas, orphãs de pai, e contar de sete e meio a 12 annos de idade. Existem actualmente 182 recolhidas. Todas possuem seu enxoval completo de roupa branca, que ali mesmo preparam, e, além dos vestidos communs, tres especiaes para differentes actos.”  (cont.)

.

.

.

.

.

Oscar Muñoz

.

.

.

Oscar Muñoz_DSC0196_2

respiração

.

Oscar Muñoz_DSC0118_2

Re/trato

.

Oscar Muñoz_DSC0094_2

Oscar Muñoz_DSC0093_2

Biografias

.

.

.

“O emprego das horas do dia é feito do modo seguinte.

A’s cinco e meia horas levantam-se, ás seis assistem á missa, ás seis e meia tomam café, depois, cada turma em sua classe estuda até ás sete. Das sete ás oito cuidam todas do asseio da casa. A’s oito horas toca o almoço; das oito e meia ás nove ha recreio geral. Das nove ás duas horas ha, alternativamente para cada classe, aula e trabalhos manuaes. A’s duas e meia janta-se. Até ás tres segue-se recreio. Das tres ás cinco e meia ha novamente aulas de differentes disciplinas, entre as quaes piano, canto e orgão; depois, até ás seis horas, ha lição religiosa. A’s seis serve-se o chá, e folgam até ás oito horas, quando toca a deitar.

Tivemos o cuidado de apreciar o adiantamento das meninas, cuja intelligencia está confiada ao zelo das irmãs de caridade, e não tivemos a menor razão de desgosto. Ficamos, pois, satisfeitos com tudo, lembrando-nos, então, dos pequeninos que viramos ha oito dias no interior do hospital da Santa Casa de Misericordia para lhes desejarmos o mesmo conforto, a mesma hygiene, o mesmo isolamento corporal e espiritual das miserias humanas, que constituem o principal beneficio destas orphãs asyladas no Recolhimento de Santa Thereza.

E’ de esperar que o digno provedor de tão notavel instituição, generoso, caritativo e justiceiro como é, pense em conceder a esses filhos da desgraça os mesmos favores que a estas jovens creaturas do sexo feminino religiosamente se dá.”  (cont.)

.

.

.

.

.

María Fernanda Cardoso 

.

.

.

Maria Fernanda Cardoso_DSC0135_2

Maria Fernanda Cardoso_DSC0133_2

Mármore americana

.

Maria Fernanda Cardoso_DSC0156_2

Coroa para una principessa ‘Chibcha’

.

Maria Fernanda Cardoso_DSC0144_2

Sol negro

.

.

.

Cada uma destas meninas termina o seu curso do Recolhimento no dia emque é recebida em matrimonio. Leva então para o la rconjugal todas as prendas que adquiriu no seu tirocinio de educanda que não viveu asphyxiada n’uma atmosphera exageradamente fanatica, mas n’uma casa em que a religião é apenas o prisma pelo qual a educação moral é encarada, a quantia de um conto de réis é o dote que lhe offerece a Santa Casa. No anno compromissal que terminou em 2 de junho do anno passado os dotes conferidos ás orphãs que se casaram foram na importancia de vinte e cinco contos.

E’, pois, maravilhosa a organização daquella instituição que a Santa Casa mantem. Exemplar gracioso das obras dasmeninas nos offereceu a dignà irmã superiora para memoria da nossa visita. Se temos que desejar o desdobramento do manto de caridade que se chama Santa Casa de Misericordia em outras joias de igual valor, que honrem o nosso paiz, assim como desejamos para cada uma das crianças que ali recebem educação e ensino toda a felicidade que se póde ambicionar para a mulher brazileira.”  ● fim

.

.

.

.

.

.

.

Iole de Freitas

.

.

.

Iole de Freitas_DSC0172_2

Iole de Freitas_DSC0171_2

Iole de Freitas_DSC0170_2

.

.

 

 

.

.

.

.

.